Existe “invasão” de quadra no tênis?

Esportes em que os times ficam separados por uma rede costumam apresentar a regra da invasão. Nestes casos, um jogador não pode ultrapassar o limite imposto pela própria rede e atingir o espaço aéreo da metade adversária da quadra. É o que acontece em modalidades como vôlei, vôlei de praia e badminton. No tênis, não é diferente. Porém, com há uma ressalva.



Não se pode invadir o espaço aéreo para fazer a batida

Um tenista não pode bater na bola enquanto ela estiver no espaço aéreo da quadra do oponente.
Por exemplo, digamos que um jogador está próximo à rede e seu adversário tenta um lob que sai curto. A bola começa a perder altura e, na vontade de matar o ponto, o jogador acaba batendo um smash com ela ainda sobrevoando a quadra adversária. Neste caso, o jogador é penalizado por invasão e perde o ponto.

Após a batida ser feita, não há invasão

Se a raquete ultrapassa o limite da rede após um golpe ser executado, o jogo continua normalmente. Isso ocorre porque a invasão só ocorre no momento da batida em si. Qualquer movimento posterior é desconsiderado.

Há uma exceção para realizar a batida na quadra adversária

Existe uma situação em que um tenista pode realizar a batida sobrevoando a quadra do adversário: quando, após quicar em seu próprio lado da quadra, a bola volta e passa para o outro lado da rede. Neste caso, o jogador pode executar o golpe e não será considerado invasão, já que ele não teve a oportunidade de fazer a batida em sua própria metade.
Tal situação ocorre, por exemplo, quando o tenista faz um saque e o adversário coloca muito efeito (underspin) na devolução. A bola ganha altura e, ao quicar no solo, ganha rotação traseira e “volta” para o lado da quadra do próprio executor da devolução. Impossibilitado de fazer a batida em sua própria quadra, o tenista poderá dar o golpe sobrevoando o espaço aéreo adversário e não haverá invasão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *